Eu posso explicar!

8 12 2009

E aí que tá difícil escrever aqui. Final de ano, correria. Cartão de natal, e-mkt de natal, vitrine de natal, alteração, cartão final de ano, cartão últimos dias, e-mkt final de ano, calendário 2010 com alterações infinitas, revisar isso, revisar aquilo, alterar de novo e, virei uma escrava de job. Simplesmente quero que chegue: FEVEREIRO UH-UH. Talvez isso justifique a minha ausência, talvez não.

Tantos assuntos, tantos temas, tanto querer, tanto sentimento, tanto pensamento. Mas as palavras simplesmente não saem. As ideias não se organizam, os dedos não obedecem no teclado, os olhos não fixam no word. A mente voa e ao mesmo tempo não sai do lugar. Complexo demais pra tentar explicar.  Tudo trava quando penso em fazer um novo texto. Eu travo. E sim, é uma vergonha assumir.

Juro que não é falta do que falar. Eu queria escrever sobre como foi legal conhecer (não pessoalmente) o Léo Zardo e até “duplar” com ele no T.I nas últimas semanas antes da entrega. Depois eu poderia escrever sobre o carro desgovernado da Luana em pleno almoço de aniversário dela, esse realmente merecia um texto.

Estávamos indo almoçar no Delícias do Campo, galera da agência, amigos e, de repente não mais que de repente, o Pedrinho (carro da Lu) fica extremamente acelerado. Coisa de filme da sessão da tarde. Um jurava que ela ia sair atropelando todo mundo, eu jurava que o carro ia chegar ao máximo e explodir, ela apavorada quase chorando. Paramos no posto e com um simples olhar o tiozinho arrumou e tudo voltou ao normal. E como de costume, depois que passa a gente ri. E rimos muito. Até hoje.

E eu queria dizer que nas horas vagas (não são muitas) faço freela de revisão, além de assistência em T.I e TCC e normas da ABNT. Todo semestre adoto um ou dois, ou três, ou quantos sabem dessa minha boa ação semestral e entram em contato. E agora não foi diferente, entre uma ajuda aqui e uma revisão ali, fui assistir a apresentação da campanha da Luh Vieira e aproveitei pra matar a saudade do abraço do Robson Vicentin. E do bar da tia. E hoje é a apresentação do TCC dela, e eu desejo toda sorte do mundo, mesmo sabendo que ela não vai precisar, pois o orientador é o Pedroso e eu conheço muito bem o potencial da pequena.

E na sexta, dia 11, é a apresentação da Rê Oliveira que eu peguei na mão nas últimas semanas antes da entrega, também desejo muita boa sorte na apresentação, e que ela não se esqueça de falar a metade do texto que eu tirei do PowerPoint.

E por último, mas não menos importante, meu amigo Daniel (Designer é rei) veio dizer esses dias que não tinha mais texto da Kelly no blog. E, pensando bem, acho que nem terá mais. Sem tempo, sem argumento, sem fonte de inspiração. Querer sem querer escrever textos que falam demais. Dupla em crise.

“Quem sabe a gente não se encontra por aí. Qualquer dia, qualquer hora, por acaso, outra vez” (Literatura de Araque).





Hoje é o seu dia, que dia mais feliz!

11 10 2009

1202508284_f

Eu passei a semana inteira pensando o que eu poderia escrever hoje. Passei o dia inteiro tentando buscar palavras pra demonstrar tanto sentimento em pouco espaço. Mas a única coisa que me vinha à cabeça era: o que dizer quando tudo já foi dito? Sim, já foi. Em cinco anos já falei em MSN, fotolog, depoimento no Orkut, scrap no Orkut, comentário de foto no Orkut, telefone, SMS e até mesmo aqui, no blog. Mas ao mesmo tempo, hoje é um daqueles dias que a gente faz retrospectiva dos melhores momentos que passamos juntos, ou seja, de todos os dias em cinco anos, porque cada dia teve seu melhor momento. Eu não vou contar histórias que todo mundo já sabe, mas vou contar o que eu sei. E o que eu sei é que o Maikon merece um prêmio. Quer dizer, muitos prêmios. Afinal, ele me atura há cinco anos e eu tenho certeza que não é fácil. Se nem eu me aturo às vezes, imagina o pobre coitado.

Eu nem sei explicar como foi que ficamos tão grudados. Acho que um dia eu acordei e tava assim. Um dia eu fui pra aula e sentei do lado dele e depois sentei sempre ao lado dele. Um dia a gente fez trabalho juntos e depois fizemos sempre trabalhos juntos. Um dia almoçamos juntos e depois almoçamos sempre juntos. Um dia eu tive que passar pra noite e pra minha sorte, logo ele também passou pra noite. Mas eu falei que não ia contar essa história.

O que eu quero mesmo dizer é que o Maikon me conhece muito mais do que eu mesma. Ele não precisa me perguntar nada, mas sabe tudo. Não precisa falar nada, mas me ouve como ninguém. E como ouve. Eu conto minhas histórias, meus dias, minhas mudanças, minhas decisões, meus planos, minhas idéias, minhas certezas, minhas duvidas e tudo o que eu quiser contar. E às vezes ele duvida de mim. Eu digo que não vou mais fazer mechas no cabelo, ele duvida. Eu digo que não vou sair na sexta, ele duvida. Eu digo que não vou mais escrever sobre amor, ele duvida. Eu digo que dessa vez eu tô falando sério, como se não falasse sempre todas às vezes, e mesmo assim ele duvida. E quando ele duvida me dá uma raiva tremenda, porque quando uma pessoa duvida é porque ela não acredita no que você é capaz de fazer. Mas a verdade é que ele acredita, a verdade é que ele sabe que eu sou capaz de fazer, a verdade é que ele sabe que eu falo por falar em momentos de esgotamento-decepção-stress e depois eu volto atrás. E faço o que disse não fazer. E dou razão pra ele mais uma vez. A verdade é que ele me conhece e ponto. Quem sou eu pra duvidar?

n1

O Maikon passou no teste de me agüentar na TPM, na fossa, na deprê, na choradeira. Passou no teste de ler meus textos melosos sem criticar essa minha mania de esperar demais, de ser demais, de querer demais, de ser inteira e sempre receber metade. Passou no teste de ouvir mil vezes a mesma coisa, o mesmo caso, outros casos, e mesmo já sabendo o final me deixa falar. E deve ser por isso que, sem querer, era eu que estava lá num dos piores momentos dele. E foi minha vez de dar o ombro, de secar as lágrimas, de chorar junto, de não falar nada, de ouvir tudo, de segurar a mão, de fazer não desistir, de fazer voltar sorrir. Foi a minha vez de passar no teste.

E sem precisar provar nada um pro outro, nem pra ninguém, acabamos provando. Provamos confiança, segurança, cumplicidade, sinceridade. E foi assim que uma amizade nasceu, cresceu e permaneceu. E permanecerá sempre. Foi assim que começou numa sala de aula e foi levada pro mundo, pras ruas, dias, noites, madrugadas, baladas, festas, bares, cinema, teatro, casa. São cinco anos com a intensidade de dez. Sem saber explicar, sem ter que explicar. Hoje é a minha vez de dizer que faria tudo novamente, exatamente igual. Porque assim que deu certo, assim que tinha que ser. Dizer mais uma vez que tenho sorte em te ter como amigo.

Parabéns, Maikon. Toda felicidade que há no mundo é pouco perto de tantas coisas boas que eu te desejo não somente no dia 11 de outubro, mas todos os dias do ano. Eu sei que querias um texto engraçado, e eu até poderia escrever algumas de muitas histórias engraçadas que a gente tem, mas eu quis falar de sentimento porque quando eu achei que tudo já havia sido dito, percebi que ainda tinha muito pra dizer.

n2





Aquabol, Fantastic Ball ou Playball?

24 09 2009

TV_Plasma3_big

 

Piscina no meio do shopping? Crianças presas em bolas flutuantes? Muita gente deve estar se perguntando: o que são essas piscinas espalhadas pelos shoppings da cidade, com crianças dentro de bolas gigantes? A resposta é simples: Aquabol, Fantastic ball e Playball. Sim, esses são os nomes das atrações que cada shopping trouxe para antecipar o dia das crianças.

Mas o que essas atrações têm em comum? Quase tudo! Piscinas iguais, bola iguais, crianças gritando quase iguais.

Mas qual a diferença entre as três atrações? A principal diferença é que o Floripa Shopping trouxe juntamente com o Aquabol, o Space Jump que joga as crianças para cima e o Space giro é isso mesmo, aquela roda que gira, ou seja, bem mais legal.

Mas em qual devo ir? Bom, primeiro acho que se você não é criança, não iria pegar bem te ver levando tombos dentro de uma bola flutuante no meio do shopping, mas se você tem irmãos/filhos/primos ou qualquer criança na família, aconselho levá-los no Floripa Shopping.

Mas por que no Floripa Shopping? Já disse, é bem mais legal, seu irmão/filho/primo ou qualquer criança da família poderá se divertir em 3 brinquedos irados, além de tudo o estacionamento é GRATUITO!

 

IMG_4652

 

 

 

O que: Aquabol

Onde: Floripa Shopping

Quando: até 18 de outubro

Valor: Space Jump – R$ 10,00 / por 5 minutos

Aquabol – R$ 10,00/ por 5 minutos

Space Giro – R$ 5,00 / por 3 minutos

  

O que: Fantastic Ball

Onde: Iguatemi Florianópolis

Quando: De 12 de setembro a 31 de outubro

Tempo da diversão: 5 minutos

Participantes: todas as idades até 100 kg

Valor: R$ 10,00

  

O que: Playball

Onde: Beiramar Shopping

Quando: até 18 de outubro

Tempo da diversão: 5 minutos

Valor: R$ 10,00





Gameway 2009

5 06 2009

 

Uma ligação, informações passadas por e-mail, algumas horas para criar! Fazer free é mais ou menos assim. Quarta (03/06) foi um dia desses e um job muito bacana por sinal. Criar os layouts do stand da RBS no Gameway 2009.

Você disse game? É, isso mesmo, GAME! Para os viciados nesse mundo de tecnologia e novidades, neste final de semana estará acontecendo no Centro Sul o maior evento de games do sul do Brasil com campeonatos de jogos, sorteio de um PlayStation 3 e um Nintendo Wii, rock band festival além da escolha da Gata Gamer, com aquela que mais entende do mundo gamer. É galera, não dá pra ficar fora dessa!

A seguir as peças que foram criadas para o stand da RBS, tendo como conceito algo ligado a tecnologia e mundo hitech. O layout maior tem em torno de 6 m de comprimento por 2 m de altura e irá adesivar duas paredes dentro do stand, já o outro layout que é para fora do stand tem 6 m de comprimento e 1/5 m de altura.

Espero que curtam os layouts.

 

ArteStand1 

 

ArteStand2

Gameway 2009!

Onde: Centro Sul – Floripa – SC

Quando: 06 e 07 de junho

Quanto: Ingressos na hora cada dia R$ 20

Passaporte antecipado

1º Lote – R$ 25

2º Lote – R$ 30

3º Lote – R$ 35

Maiores informações Aqui!





Bacharelados

12 05 2009

 

Obviamente que o post de hoje não poderia ter outro assunto se não formatura. Não tenho nem palavras pra descrever como foi e muito menos por onde começar. Quem sabe, pelo culto ecumênico, que foi na sexta (08/05), chegamos lá e já estavam todos apavorados e não preciso dizer que nem dentro da igreja essa turma sossega. A homenagem aos pais no culto ficou por minha conta e da nossa amiga Daiane Manoel Ricardo, e pelo visto fizemos um bom trabalho, quando olhei pro lado o povo se acabava em lágrimas. Foi lindo. Sem contar que o Diácono Ricardo (celebrante) também é uma figura, e fez um culto bem descontraído.

culto8

No sábado (09/05) as tarefas começaram cedo, pelo menos para as meninas que sabem muito bem do que estou falando. A galera no multiuso não sabia nem pra onde olhava, como se colocava a faixa da beca, como coloc41ar o capelo sem estragar o cabelo, tava um vuko-vuko naquele camarim. Aí chegou o Mario Motta, nosso mestre de cerimônia, o que nos deixava claro que estava quase começando, e é nessa hora que começa a dar todas as dores possíveis, dor de cabeça, dor no estômago, filas no banheiro e etc. E começou. E esperávamos ansiosamente pelo lado de fora. E entramos. E me apavorei ao ver tanta gente! E mais uma vez, foi tudo lindo. De todas as homenagens, não posso deixar de comentar a que eu, particularmente, mais amei – que foi a homenagem aos amigos, feita por nossas amigas Caroline Fernandes e Renata Marques. Segue o texto das meninas:

O dia de hoje representa o sucesso conquistado durante os 4 anos de faculdade, onde cada um de nós foi protagonista dessa história.

Tudo começou com uma turma de calouros que tinha muita energia que dá gosto. Poucos se conheciam, mas isso não foi um problema para uma turma de futuros publicitários, afinal a primeira impressão é a que fica.

As amizades foram surgindo através dos grupos de afinidade e de trabalho. Eram núcleos criativos que bolavam 50 e uma boas idéias por segundo. Muitas vezes não era aquela Brastemp… mas valia por um bifinho…  e o fenômeno não parava de crescer.

E quando essa turma tava cansada de produzir mais e mais layouts, nada adiantava! Porque… imagem não é nada, sede é tudo!

Esse era o melhor local para desestressar: o bar da esquina.

Podia ser aquela que desce redondo ou aquela outra que refresca até pensamento… ou seja, cerveja.

A PRIMEIRA FAZ TCHAN,  A SEGUNDA FAZ TCHUN E A TERCEIRA…TCHAN TCHAN TCHAN TCHAN!!!

Nossos mestres foram os principais responsáveis pelo resultado alcançado no dia de hoje. Com muita paciência e determinação, eles nos transmitiram todo conhecimento necessário para que nos tornássemos verdadeiros profissionais. Tem coisas que só um professor faz por você.

Aprendemos muito uns com os outros, e mesmo havendo muitos desentendimentos por conflitos de idéias … A gente conversa, a gente se entende.

Esses 4 anos vão deixar muitas saudades.

O tempo passa, o tempo voa e a poupança bamerindus contunua numa boa. Foram amizades conquistadas, boas gargalhadas e muitos ensinamentos adquiridos… Ace toda turma fosse assim.

E a trajetória não para por aqui. No fim, podemos dizer que tudo valeu a pena e que amamos muito tudo isso, concluindo com sucesso mais esta etapa de nossas vidas e sabendo que daqui pra frente a meta é Viver Sem Fronteiras.

33

Deu pra notar como foi demais, né? Cada minuto ali, mais que especial aqui.

37

Aí teve o baile, e convenhamos, QUE BAILE! Não querendo ser repetitiva e já sendo, estava tudo lindo! A decoração estava linda, os formandos estavam lindos, os convidados, os professores, a banda, estava tudo perfeito. A turma como sempre, não se separou. Valsamos, brindamos, tomamos banho de champagne, subimos no palco, cantamos no microfone e muito mais. E quando todos pensaram que acabou, eis que entra a bateria da escola de samba Copa Lord, dando continuidade a nossa festa. Não vi ninguém parado, todo mundo se acabou no samba. Chamaram dois representantes da turma pra sambar no palco e, óbviamente, não foi só dois, mas sim quase a turma inteira. O carinha do som apavorado, mandando o povo descer antes que colocássemos o palco a baixo, e quem disse que descemos? Estavamos tão felizes, que até se o palco caísse não pararíamos. Foi simplesmente a melhor formatura de todos os tempos! E não é só pelo fato de ter sido a nossa formatura, mas TODOS os convidados estão dizendo o quanto amaram.

31

E assim, terminamos (sim, eu e o Maikon) o post agradecendo as pessoas que se empenharam para que tudo ocorresse desta maneira: a comissão. Vocês com certeza fizeram um excelente trabalho. E queremos agradecer em especial, a nossa amiga da turma, Simone dos Santos, que é mais que a amiga da turma, já é considerada a mãe da turma, que se dedicou de mais, se estressou de mais, se esforçou de mais, se deu de mais, para que tudo fosse tão maravilhoso assim. Valeu por tudo, Mone, com certeza não seria perfeito se você não estivesse no comando!

 “Mas isso não impede que eu repita: É FUDIDA, É FUDIDA E É FUDIDA”

46





São tantas emoções

6 05 2009

 

Oi gente, sei que estamos em débito aqui, que já faz uma semana desde o ultimo post e que vocês ficam a espera do próximo, assim como eu fico a espera das atualizações dos blogs que sou fã. Eu não vou dizer que falta inspiração, porque até que a dupla anda muito inspirada ultimamente. Não vou dizer que é falta de tempo, pois estaria mentindo, tempo nós temos de sobra. Mas o que realmente não nos tem deixado atualizar o blog em questão, é a tal da formatura. A ansiedade pela tão sonhada colação de grau, tem tirado o sono de muitos formandos, inclusive o meu. Cheguei a sonhar que meu cabelo tinha ficado horrível e que não dava tempo de arrumar. Minha amiga sonha que está tropeçando e caindo, se enrolando nos fios. A outra não sabe como vai entrar com a luz do holofote cegando-a. E por aí vai.

E por mais que esteja tudo certo, sempre parece que está faltando algo. Os detalhes não passam despercebidos. Escolher o brinco foi mais difícil do que escolher o vestido. As preocupações não param e os pensamentos não dão trégua. Cada hora que passa o coração bate mais forte e dá uma mistura de emoções. É felicidade, é ansiedade, é nervosismo, é um sentimento sem nome, mas que aperta o peito. É uma saudade que já toma conta.

Saudades dos amigos, da turma, dos professores, dos corredores, do bar da tia, dos e-mails, das festas. E falando em festa, a nossa última (antes da formatura) foi patrocinada pelo melhor orientador do mundo Paulo Pedroso e pela melhor banca do mundo Márcia Alves, e ainda tivemos a presença de outros mestres como Nicolas Caballero, Mirella Vegini, Túlio Henrique e Diego Moreau (que fez a sua visita de médico no final da festa). É, vai ser difícil conter as lágrimas no dia nove. A saudade aumenta só de lembrar.

festa

E sem mais melancolias, eu terminaria o post com um vídeo da festa, se o nosso amigo youtube permitisse-nos a postagem com a trilha escolhida. Mas tudo bem, resolveremos e postaremos logo mais! Terminarei o post com o vídeo, apesar de a trilha não ser a escolhida pela dupla.

(Eu não sei o motivo de o vídeo não estar aparecendo, então segue o link direto do youtube!)





Vamos a bailar?

25 04 2009

 

Onde já se viu um Blog em dupla que “o dupla” nunca aparece, quer dizer, nunca posta. Bom, hoje pedi permissão para minha dupla Kelly, pois queria falar sobre um grande evento que estará acontecendo em Florianópolis de 30 de abril a 03 de maio: o Baila Floripa – VIII Mostra de Dança de Salão de Florianópolis. Talvez muita gente não saiba o que é, mas o pessoal que é ligado no mundo da dança e que admira a dança de salão de alguma maneira, conhece ou já foi no espetáculo.

Alguém deve estar se perguntando: por que um post sobre dança de salão num blog que geralmente fala de publicidade?

Primeiro, foi pela proposta que recebi para fazer toda a parte de divulgação do evento. Semana passada. Meu grande amigo e presidente da ACADS (Associação Catarinense de dança de salão), me fez a proposta e não pensei duas vezes, agora estou aqui me virando nos 30, criando e pirando o cabeção. Sobre as peças de divulgação, foram criados dois flyers com a programação completa dos quatro dias de evento para enviar por Orkut, um anúncio para o Diário Catarinense divulgado as três noites de espetáculo, outdoor e folder para ser entregue nos dias de espetáculo.

Segundo, é pelo fato de sempre ter participado do Baila Floripa, dançando com meus antigos grupos de dança. Sim antigos, pois em 11 anos de dança já perdi as contas de quantos grupos passei. É mais ou menos como a vida de um publicitário, você está numa agência, mas não está satisfeito, acaba recebendo outras propostas que depois de analisadas, vê o que é melhor para você, e acaba mudando. Dançar em grupos de dança é assim, cada grupo é um aprendizado diferente, é uma rotina diferente, onde cada nova coreografia é como se fosse criar uma nova campanha.

Agora voltando ao Baila Floripa, é uma mostra de dança de salão onde participam grupos de dança do Brasil e do exterior. Esses grupos enviam vídeos onde passam por uma seleção. Mas o evento não é só o espetáculo, ele também conta com bailes e workshops de dança durante os quatro dias. Além disso, o Baila Floripa conta com o “Concurso de duos”, onde o casal que tirar em 1º lugar leva como prêmio R$ 1.500,00 + 2 pacotes para o Baila Costão (outro evento de dança) + três dias de hospedagem no Costão do Santinho Resort. Legal, né? Ficou com vontade de participar? Então comece a treinar e faça já sua inscrição!

 

Maiores informações: www.bailafloripa.com.br

 

anunciodcjpeg1

Anúncio Baila Floripa para o Diário Catarinense

 

flyerorkut2

Flyers divulgação Orkut: programação do evento e concurso duos