Lembranças de 2008

9 11 2009

tcc

 

Semana passada, mais precisamente quarta-feira, os alunos da oitava fase de publicidade e propaganda da Estácio tiveram que entregar seus filhos, os famosos TCC’s. É um filho mesmo, consome nosso tempo, pede nossa atenção, pede prioridade, nos impede de sair, nos deixa acordados de madrugada e requer muitos cuidados.

A começar na escolha do nome, tal qual de uma criança, um nome que você goste e tenha a certeza absoluta de que não vai se arrepender mais tarde. Depois, a complicada tarefa de escolher o pai (ou a mãe), uns tem a sorte de pegar aquele pai babão e participativo, que segura na mão e ensina andar, já outros pegam aqueles que só dão o sobrenome e nada mais. E depois dessa fecundação você só quer dar o melhor pra ele, só quer saber se ele está acompanhando o desenvolvimento de acordo com os demais, se ele está crescendo bem e ficando gordinho, se está amadurecendo bem. Igual àquela tabelinha de caderneta de neném que compara a idade com as habilidades.

Mas a verdade é que mesmo fazendo tudo certo, bate o desespero de mãe adolescente. De não saber por onde começar, de ter tanta coisa pra contar e não conseguir dizer nada, de não saber se está fazendo certo ou errado, de ver seus amigos curtindo a vida e você em casa porque tem um filho pra cuidar. Aí você se encontra com o pai da criança e fala e chora e chora e fala, e ele te olha e diz: calma, tá tudo bem. Comassim? Óbvio que não tá tudo bem, não tá nada bem. Mas acredite, ele sabe o que está dizendo. E você só vai ter a certeza disso quando olhar seu filho na prateleira da biblioteca. Ou quando sair pulando após saber a nota da banca, igual alguém que eu conheço.

Exatamente há um ano, era a nossa turma que estava entregando TCC. E se por um lado tinha todo esse caos relatado ali em cima, por outro a turma se ajudou mais do que nunca. Um exemplo de trabalho em equipe. Se por um lado era chato ficar dias e noites e madrugadas fazendo esse trabalho que não tem fim, por outro nós curtíamos as noites, sábados, domingos e feriados no MSN, gtalk e e-mail. Todos online tccendo ou monografiando como diziam os respectivos Nicks.

Cada dúvida que surgia era um email que chegava. Alguém sabe como se faz sumário automático? Alguém tem aquela citação de Kotler? Alguém sabe a referência de Lakatos? Aqui o espaçamento é 1,5 ou simples? E o recuo? E a margem? Aqui vai negrito ou itálico? Alguém sabe numerar as páginas sem ficar numerada a capa também? E mais outras tantas que não me recordo. Agora coloque umas quinze respostas pra cada pergunta e em dois minutos você tem uma caixa de entrada lotada. E em dois minutos você se diverte muito com cada resposta dessa turma criativa.

Aí entregamos e comemoramos em grande estilo, no bar da tia. Depois assistimos as apresentações dos amigos e festejamos as melhores notas de TCC já vistas em uma turma de publicidade da Estácio. E hoje, falando com algumas pessoas da turma, não teve um que dissesse não sentir saudades dessa época de correria e união. Eu sinto saudades. #prontofalei.

P.S –  A prova de que TCC faz mal pra mente.

De: Kelly – Para: Pedroso

Oi Prof,
tô mandando em anexo o capitulo 4, ainda não terminei, mas eu queria que você desse uma olhada pra ver se eu estou fazendo certo,
Se posso continuar assim, ou se devo mudar alguma coisa.
Comecei falando das Ipanemas Gisele Bündchen e depois vou falar das anatômicas.
Tô mandando também o que a menina da África me mandou.
Abraço, Prof

—-
De: Pedroso – Para: Kelly

Kelly, vc mandou a campanha, não o TCC.
Abraço.

Prefiro não comentar!

Anúncios