De mala e cuia!

9 10 2009

mudanca

É tão estranho e ao mesmo tempo tão engraçado como as coisas vão acontecendo e tudo vai se transformando. E tudo vai se encaixando. Lembro que desde criança eu passava pela praça Getúlio Vargas, mais conhecida como a “Praça do Bombeiro”, e aquela casa rosa de esquina sempre me chamou atenção. Anos depois descobri que era uma agência. Anos depois entrei na faculdade. Anos depois tive aula com o redator da agência da casa rosa.

Toda aula era uma história diferente, aquele famoso “aconteceu comigo”. Do atendimento à criação a gente viajava enquanto o professor ia contando as pérolas que presenciava diariamente na correria da agência. Cases, comerciais, making of, jingles e spots exemplificavam a teoria passada em sala. Resumindo, me apaixonei. Não, não foi pelo professor. Mas pelo o que ele fazia, como fazia, onde fazia. Por me mostrar todas as coisas que aconteciam dentro da casa rosa de esquina.

Anos depois me formei. Meses depois, por ironia do destino, olha onde eu vim parar. Bom, se isso não foi muita sorte, o “cara lá de cima” foi muito generoso comigo. Hoje a agência está em clima de mudanças, não foi fácil colocar 47 anos em caixas de papelão, mas a equipe fez um bom trabalho. O povo já tá sentindo saudades antes mesmo de deixar a casa, e o padre deve estar finalmente feliz.

Se você não sabe, reza a lenda (literalmente) que antigamente aqui era uma casa de padres e um deles se matou enforcado na escada lá de cima. Como se não bastasse, dizem que ele assombra a agência todas as noites. Eu nunca vi/ouvi nada, mas tem gente que treme só de lembrar. No embalo da lenda vieram as lembranças. Quantos profissionais já passaram por aqui, quantos começaram aqui, quantas pizzas na madrugada, quanta história pra contar. Quanta coisa pra levar.

É, ultimo dia. Mas o importante é que cheguei a tempo de passar os últimos meses da agência aqui, na casa rosa de esquina. E por mais que mude, como diria Olivetto, “o primeiro a gente nunca esquece”.

Anúncios

Ações

Information

4 responses

10 10 2009

Já sinto saudades daquele casarão antigo, do barulho dos passos no assoalho, do subir e descer de escadas.

Que a sua nova casa lhe receba de braços abertos. Que possas aprender sempre e mais.

Boa sorte e sucesso sempre!

Beijos!

10 10 2009
Jefferson

Legal esse carinho que você sente, legal poder ter feito parte da história, vivenciado essa história assim, de perto. Como de repente a sua história e a dela (agência) se misturaram. Quando estamos em um lugar, acabamos sendo parte do lugar. Boa sorte no novo endereço e que o padre descanse em paz ^^.

13 10 2009
Fernando Palermo

Uma bela história em mais um belo texto da Kelly. Durante a leitura, lembrei das pizzas e noites viradas no casarão da esquina. Noites e fins de semana sem fim. Porque história é assim mesmo: nunca termina. Boa sorte pra todos nesta nova fase da agência. Boa sorte, Kelly. E obrigado por ter gostado e lembrado das aulas e das histórias contadas.

17 10 2009
Léo

A casa rosa é mágica. Foi a primeira agência que entrei na minha vida, pra um trabalho na 1ª fase. E todo mundo na cidade sabe onde é a Propague: “ali, naquela casa rosa na Praça dos Bombeiros”. haha
Lindo texto! Se até eu fiquei meio assim com a mudança da casa rosa, imagine vocês, que trabalham/trabalharam lá.

Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: