Essa tal de faculdade

7 04 2009

blog

 

E eu cheguei lá, como quem chega numa festa de aniversário sem ser convidada, sem conhecer ninguém, sem conhecer o aniversariante. Cheguei tímida, envergonhada, de cabeça baixa, entrei naquela sala que estava vazia e esperei. Conforme os minutos passavam aquela sala vazia começava a se encher, e o que era enorme se tornou pequeno. Era tanta gente, gente estranha, gente maluca, gente que eu nunca havia visto antes e que eu não imaginava conhecer um dia. Era o meu primeiro dia na faculdade. Ainda lembro bem de como analisei cada pessoa ao entrar. Esse parece ser legal, essa parece ser metida, aquele ali é “filhinho de papai” e por aí vai. E não imaginava como seria bom estar ali. E não imaginava me apegar a tanta gente diferente, de maneiras diferentes, de sentimentos diferentes.

Teve aquela que eu vi chegando junto comigo e não fazia ideia de que poderia ser da minha turma, achei ela meio hippie, usava um lenço no cabelo e uma pasta vermelha. Depois a vi entrando na sala e achei meio tímida, meio cdf, meio na dela. Com o passar do tempo vi que era esforçada, dedicada, responsável e parceira pro que der e vier.

Teve aquele que conheci bem no começo, quanto mais o tempo passava, mais eu me sentia bem ao lado dele, porque tínhamos personalidades parecidas, porque a gente se dava bem, porque era muito além do que um simples colega de classe. Aquele que mesmo na fossa encontrava motivos de piadas, e riamos durante as madrugadas, porque depois de um dia cansativo era difícil nos manter acordados, e era difícil pensar, e era difícil criar. E mesmo assim, permanecíamos ali, sorrindo querendo chorar, acordados querendo dormir. Me lembro das vezes que quisesse me matar por eu ser detalhista de mais, e das vezes que eu mandei você se ferrar por não ouvir os meus “detalhes”. Mas depois já estava tudo bem, a história já era motivo de risos e a nossa amizade é motivo de alegria.

Teve aquela que chegou no meio do curso, chegou de mansinho e foi se aproximando cada vez mais. E eu fiquei com raiva, ciúmes, ódio mesmo de vê-la ali. Ali do meu lado sem me conhecer, puxando assuntos sem eu querer. Porque era verdade, eu simplesmente não queria dividir a atenção que, até então, era só minha. Eu não queria dividir o braço e o abraço que eram meus. Nós estávamos tão bem assim, não precisávamos de mais uma. Fui egoísta. Mas ela não desistiu, persistiu ficar ali do meu lado. E foi bom. Foi bom porque percebi nela qualidades minhas, porque percebi nela defeitos meus, porque percebi nela uma pessoa extremamente igual a mim. E foi bom. Deixei o egoísmo de lado e construí uma amizade. Aquela que parece que sempre esteve ali, que parece ser de infância mesmo não sendo.

Teve aqueles que conheci por ultimo, esses são um bocado. Parecia que eu estava começando do zero novamente e, ao mesmo tempo, parecia que eu os conhecia há séculos. Acho que de tudo o que vivi lá dentro, esta foi à melhor fase. E eu estava feliz por fazer parte. Tudo se tornava e se torna legal ao lado desse povo todo. Foi sem sombra de dúvidas a minha melhor turma.

Teve aqueles professores calmos, estressados, chatos e que colocam medo. Mas também teve aqueles super legais, que ajudam de mais, que incentivam de mais. Teve aquele que nada estava bom pra ele, pelo simples fato de acreditar no potencial, porque ele conhecia cada um e sabia da capacidade de fazer coisas melhores. Teve aquele que chama todas as meninas de “pequena” e morre de orgulho de seus alunos, e apóia, e quer te ver vencendo, e te conforta, e te mostra o caminho. Teve aquele com espírito de aluno, meio nerd, que é amigo de todo mundo, que dava job toda semana e te colocava a trabalhar. Teve aquele que sabe tudo de agência que mostrava a realidade, contava as histórias mais absurdas e mais legais desse ramo, que passava seu conhecimento, suas experiências em forma de cases e making of. Teve aquele com conhecimento de mercado imbatível, que sabe de cor cada movimento que acontece lá fora, que passa o dia inteiro analisando prateleiras de supermercado e que tem uma tranquilidade absurda enquanto a gente tá quase surtando. 

E eu? Eu me sinto lisonjeada de ter conhecido essa gente doida. De ter aprendido tanto. Eu me sinto lisonjeada de ter ido parar naquele curso por acaso e de ter adorado cada segundo, cada minuto, cada instante lá dentro. Eu me sinto lisonjeada por ter feito valer a pena. E faria tudo novamente só pra conhecer toda essa gente.

Anúncios

Ações

Information

7 responses

7 04 2009
Simone

Ai Kelly, me emocionei, amei as palavras! Preparem-se, que o grande dia está chegando.
bjs
Mone

7 04 2009
Renata

KeLLyyyyyn, adorei o textoooooo eu fui uma dessas pessoas na ultima fase neh?
iRRRRUL, tais escrevendo mto bem, continue assim hahaha!
E os profs, meu deus, muito fácil de identificá-los hahha
mil beeeeeeeeijos

7 04 2009
diegomoreau

Lindo o texto! Parabéns mesmo. Não querem voltar não?

7 04 2009
Nosbor

arrebatador. enjoy

8 04 2009
Sarah

aaaaaaaaainnnn adoreeiii
ta lindo kelly!! quase alaguei a casa hahahahah
não preciso me identificar neh ? fiz só a primeira fase mas tem q lembrar de mim !!
bju bju bjuuu

8 04 2009
João Batista

Me emocionei quando li. Acho que foi dito tudo o que queríamos dizer. Amo vocês de verdade!!
Sinto saudades todos os dias.
Abraços bem apertados em cada um de vocês!

8 04 2009
Moema

Lindddooooo!!!
Posso assinar embaixo junto com você?!?!?!?
Posso fazer minhas, as suas palavras?!!?!?!?!?
Eu diria…PERFECT!!!!….MARAVILHOSO!!!!…SUPIMPA!!!!
e mais….AMO MUITO TUDO ISSO!!!

Adoro vocês…um beijão enorme da Mô :****

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: